19 June 2019
Entrevista com Basílio Horta, Presidente da Câmara Municipal de Sintra

Entrevista com Basílio Horta, Presidente da Câmara Municipal de Sintra

O que faz de Sintra um município progressista?

Juntamente com a Irlanda, o Luxemburgo e Malta, Portugal é um dos poucos países sem uma presença significativa de forças de extrema-direita. Após ter sido gravemente afetado pela crise, o país conseguiu recuperar a sua economia e posicionar-se na vanguarda da promoção das políticas sociais.

Sintra é o segundo município mais povoado de Portugal. Tem também uma das comunidades mais diversificadas e jovens. Para nós, ser-se progressivo é responder de forma contínua às necessidades dos nossos cidadãos. Dar prioridade às políticas sociais e de saúde é, por esta razão, o nosso principal objetivo estratégico. Procuramos manter as taxas de desemprego baixas, investir na educação a todos os níveis e prestar serviços de saúde de qualidade.

Estamos também a trabalhar para atrair investimentos para o nosso município. Consideramos essencial incentivar os bons investimentos, nomeadamente os que são sustentáveis, transferem tecnologia e, mais importante ainda, criam emprego. Uma relação mais estreita com as empresas estabelecidas no nosso município ajudar-nos-á a responder a algumas das nossas preocupações sociais, aumentando as oportunidades de emprego a nível local.

 

 

Que ações concretas executou em Sintra para realizar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)?  (exemplo concreto)

Em 2018, o nosso relatório sobre o «Índice de sustentabilidade municipal» concluiu que Sintra atingiu 74% da sua trajetória rumo a um desenvolvimento sustentável. As pontuações mais elevadas de Sintra foram nos seguintes ODS: ODS 7 – Energias renováveis e acessíveis, ODS 9 – Indústria, inovação e infraestruturas e ODS 13 – Ação climática.

Sintra elaborou o seu próprio Plano de Ação para a Sustentabilidade Energética, cujas ações permitiram uma redução de 30% das emissões de CO2. Melhorámos também a eficiência energética dos nossos edifícios escolares. A criação de plataformas digitais, como a nossa aplicação «Sintra Resolve», permite que os nossos cidadãos comuniquem os problemas com que se deparam em espaços públicos, desde de dificuldades de mobilidade até à limpeza urbana. 

Qual o contributo da Europa (e do financiamento europeu) para tornar Sintra um município mais sustentável?

Sintra beneficiou de importantes fundos da UE, o que lhe permitiu aumentar o investimento na mobilidade sustentável, na eficiência energética e na redução e gestão dos resíduos.

Um exemplo concreto do trabalho que temos vindo a realizar é a recente inauguração do primeiro troço do nosso «Eixo Verde e Azul», que incluirá 12 km de ciclovias, a reabilitação de 50 hectares de zonas verdes, bem como a criação de novas zonas.

Além disso, como Sintra tem uma população cada vez mais diversificada, o Fundo para o Asilo, a Migração e a Integração (FAMI) tem sido particularmente importante. O FAMI permitiu-nos responder às necessidades dos recém-chegados e promover a sua rápida integração na nossa comunidade, nomeadamente através do desenvolvimento do nosso «Plano Municipal para a Integração dos Migrantes». 

Basílio Horta é o presidente da Câmara Municipal de Sintra desde 2013 e membro do Grupo do PSE no Comité das Regiões Europeu desde 2014. Pertence ao Partido Socialista Português.

Photo credit: flickr / José Carlos Cortizo Pérez

 

Top